Ocupações em escolas da região continuam

Compartilhe!

Três escolas seguem ocupadas na Costa Verde. No Rio, professores em greve fizeram manifestação.

Professores da rede estadual fizeram nesta terça-feira, 24, um ato em frente a Secretaria Estadual de Educação, na cidade do Rio de Janeiro,  em desagravo à violenta retirada dos estudantes que ocupavam o local, na madrugada do último sábado. Cerca de trezentos profissionais participaram da manifestação, que contou com uma passeata pelas ruas do Centro da capital. Ao todo, aproximadamente 70 colégios estão ocupados no estado. Na região da Costa Verde são três.

Os profissionais da educação, que já estão há três meses em greve, têm quatorze pontos de reivindicação, entre eles, reajuste salarial de 30% e o fim do parcelamento dos salários. Segundo comunicado do SEPE, na desocupação da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), na capital,”foi usada força desproporcional do batalhão de Choque da PM contra adolescentes que querem apenas protestar contra o ataque que o serviço público e em particular a educação vêm sofrendo ao longo dos anos em nosso estado”. Ainda segundo o Sindicato, “o governo do estado está totalmente equivocado na forma como vem tratando os estudantes e suas ocupações de escolas. Primeiro, integrantes da administração anterior da Seeduc ajudaram a insuflar movimentos contrários às ocupações, gerando violência entre os estudantes. Agora, o governo interrompe uma negociação e manda o Choque retirar adolescentes à força de uma ocupação”.

Ocupação na Costa Verde

cembraNa região da Costa Verde três colégios estaduais estão ocupados, dois em Angra (CIEP 302 e CELAMM) e um em Paraty (CEMBRA). Nesta segunda-feira, 23, um grupo contra a ocupação tentou desocupar a força o Ciep 302, em Jacuecanga. A polícia esteve no local, mediando o conflito, para evitar violência. Segundo a PM, na noite desta terça-feira, uma nova vigília aconteceu, mas não houve confrontos.

Os secundaristas vêem utilizando as redes sociais (CIEP 302CELAMM e CEMBRA) para detalhar o dia-a-dia das ocupações e solicitar apoio. Os estudantes  fizeram um desagravo contra os organizadores de grupos que querem forçar a desocupação. Um vídeo mostrando o movimento de ocupação em Angra foi o segundo colocado no concurso de Curtas ocorrido na última semana.

No Colégio Estadual Dr. Artur Vargas (CEAV), outra importante escola de Angra dos Reis, dois grupos estão em um cabo de guerra sobre se a unidade deve ou não ser ocupada. Nos últimos dias, o coordenador da Juventude da Prefeitura de Angra dos Reis, Andrei Lara, reuniu-se com os dois grupos, que possuem ideias bastante similares sobre as necessidades do CEAV, discordando apenas sobre a questão da ocupação. Nesta quarta-feira, 25, aconteceria uma reunião com representantes de ambas as vertentes, mas ela foi transferida para a próxima semana, atendendo um pedido dos secundaristas contrários à ocupação.

– As demandas deles são bastante similares, diferindo, principalmente, quanto à ocupação do Ceav: um grupo quer ocupar e o outro, não. Espero que consigamos chegar a um consenso e unir estas forças, que buscam melhores condições de ensino e uma escola mais cidadã para todos – explicou Andrei.

Redação

Site de notícias da região da Costa Verde fluminense: Angra dos Reis, Mangaratiba e Paraty.