Itinga terá plano de reestruturação

Compartilhe!

Uma ação conjunta entre a prefeitura de Angra dos Reis, os condomínios fechados do Bracuí e a Associação de Moradores da Itinga será oficializada, no próximo dia 15, às 18h, na sede da Associação, com a assinatura, pela prefeita Conceição Rabha, do termo de parceria que está vinculado a elaboração de um plano integrado local. Este plano versará sobre o uso e a ocupação do solo, a mobilidade urbana, os equipamentos coletivos (creches, escolas, postos de saúde, praças) e as áreas de interesse ambiental que poderão ser transformadas em parques urbanos ou unidades de conservação.

As informações são da arquiteta e subsecretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Ana Nascimento. Segundo ela, a Itinga foi escolhida para receber um plano de ocupação integrado depois de feito um diagnóstico, que mostrou a viabilidade da implantação devido às questões hídricas, que são boas, e de localização do bairro, que está numa área que não apresenta riscos de alagamento ou desmoronamento.

– A Itinga é considerada área estratégica para iniciarmos o plano de ocupação integrada e fazer dele um plano piloto que poderá nortear ações por todo o município no futuro. Outro ponto positivo é à disposição dos condomínios fechados, que são vizinhos da Itinga, em contribuir efetivamente para que o plano saia do papel – explicou a subsecretária.

Os condomínios vão dividir com o poder público os custos da elaboração do plano de integração local do bairro e, os moradores, por intermédio da associação poderão: acompanhar, discutir e participar das decisões que estarão contidas no documento. Está nos planos da secretaria municipal de Meio Ambiente transformar as deliberações do plano integrado em leis, o que garantirá que as intervenções apontadas sejam realizadas a qualquer tempo.

O trabalho de elaboração do plano integrado local da Itinga, depois da assinatura, terá um prazo de seis meses para a sua conclusão.

– A assinatura desse documento tem significados importantes. Primeiro nos mostra que é possível em Angra o poder público, os setores privados e a comunidade trabalharem conjuntamente para o bem estar da coletividade. E depois porque esse plano também nos dará a possibilidade de iniciar o planejamento de todo o restante da cidade, que é um dos nossos principais objetivos que começa a ser alcançado – concluiu Ana Nascimento.

Redação

Site de notícias da região da Costa Verde fluminense: Angra dos Reis, Mangaratiba e Paraty.