Caminhada pelas trilhas da Gipóia

Compartilhe!

Grupo quer resgatar traçado original de trilha histórica.

Nesta sexta-feira, 21, haverá uma caminhada para reconhecer o traçado da trilha histórica entre a Igrejinha da Piedade e a Praia da Jurubaíba, na Ilha Gipóia. A caminhada visa reconhecer e demarcar o caminho original da trilha percorrido por moradores, visitantes e turistas durante centenas de anos e que agora se encontra ameaçado por desvios e a construção de novos empreendimentos imobiliários.

A caminhada ocorre em função da preocupação de moradores que desde agosto de 2016 assistem a construção de uma passarela na praia do Peixoto, na Ilha da Gipóia, desviando parte do caminho.

– No começo de agosto, observamos uma passarela sendo feita com a intenção de desviar o caminho e enviou um ofício à Secretaria de Meio Ambiente solicitando uma vistoria pois dificultava a passagem de moradores idosos e em março de 2017 fomos surpreendidos com uma cerca, portão e cadeado obrigando os moradores a subir uma escada de concreto muito íngreme – relata Renato Iarede, da Associação de Moradores da Ilha da Gipóia.

Segundo informações dos organizadores da caminhada, a mudança de acesso tem licença na Prefeitura Municipal de Angra dos Reis, entretanto a população local não foi consultada e ouvida, como orienta o Decreto Municipal N° 5.299 de 18 de maio de 2007. O decreto instituiu a servidão pública nas trilhas da Ilha da Gipóia e prevê no Art. 4º que “a modificação de traçado ou dimensões das trilhas (…) só serão permitidas quando objetivarem melhorias para os pedestres usuários, ouvidas as comunidades envolvidas”. Acontece que o referido decreto não mapeou a trilha da praia das flechas até Jurubaíba, e do canto das canoas até a praia da Amendoeira.

A caminhada começara às 9h30 na Igreja da Piedade (Às 8h30 acontecerá a saída da Praia do Bonfim das pessoas que confirmarem presença no barco disponível).

– A mobilização de moradores, amigos e parceiros da ilha visa não perder uma das últimas trilhas ainda em uso pela comunidade e visitantes. Pedimos a toda a população que nos ajude a impedir que novos caminhos sejam desviados e praias fechadas. A praia e os caminhos são bens comuns e nos cabe manter e cuidar – afirmam os organizadores.

 Para participar, ou maiores informações, contatar a Associação de Moradores da Gipóia( 24 998229299); ou por mensagem em [email protected]gmail.com/ Facebook: praiaslivresmentesabertas, ou por telefone  (24) 998752728.

Redação

Site de notícias da região da Costa Verde fluminense: Angra dos Reis, Mangaratiba e Paraty.