Vieiras de Angra têm garantia de qualidade monitorada

vieiras – foto Felipe de Souza (3) -J
Compartilhe!

Análise das áreas de cultivo de vieiras é feita pela secretaria de Pesca em conjunto com a Fiocruz.

A prefeitura de Angra por intermédio da secretaria de Pesca e Aquicultura vem fazendo, quinzenalmente, o monitoramento ambiental das áreas de cultivo de vieiras da baia da Ilha Grande. O objetivo é garantir a qualidade do produto desde o início do cultivo até que ele seja entregue aos restaurantes e consequentemente ao consumidor. Essa preocupação tem a ver com a sensibilidade peculiar dos moluscos que são organismos filtradores e necessariamente devem estar frescos ao serem preparados e servidos em refeições.

Os técnicos da secretaria fazem análises físico-químicas testando a temperatura, salinidade, transparência e o oxigênio absorvido nas águas das áreas de cultivo. Esta ação faz parte da política de incentivo à maricultura que vem sendo encabeçada pela prefeitura, por meio da Secretaria de Pesca.

– A análise quinzenal é uma exigência do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) no momento em que ele concede a licença que permite o cultivo ao maricultor, que deve apresentar o relatório com os resultados obtidos trimestralmente ao órgão. E nós garantimos o cumprimento dessa exigência – explicou o gerente de Maricultura, Marcelo Lacerda.

Ainda de acordo com Marcelo, a ação vem ao encontro de uma necessidade dos maricultores e também garante o bom nome do produto cultivado em Angra que, hoje, é servido nos restaurantes da cidade e também nos de grandes centros urbanos, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo. O gerente explica ainda que a secretaria toma o cuidado de se respaldar com laudos produzidos pela Fiocruz, que faz análises bacteriológicas na carne da vieira fechando, assim, o ciclo que garante a qualidade do produto.

– A importância deste acompanhamento fica ainda mais evidente quando falamos em números. Os maricultores de Angra vêm batendo recordes na produção de vieiras ano após ano. Em 2013 foram 20 mil toneladas, em 2014 esse número subiu para 31 mil toneladas e, em 2015, a expectativa é que a gente registre a produção de mais de 50 mil toneladas – analisou.

Segundo o gerente, esse crescente número na produção é resultado das diversas preocupações relativas à maricultura, que começa desde a produção da semente da vieira, passa pela profissionalização dos maricultores e culmina nessa análise que garante a qualidade da produção realizada no município.

É bom lembrar que o resultado das análises feitas pela secretaria de Pesca e Aquicultura e também os da Fiocruz, estão disponíveis no site da prefeitura e pode ser acessado por qualquer pessoa que tenha interesse.