Valores exorbitantes em contas de luz assustam angrenses

Enel nega problemas na medição. Procon registra alta nas reclamações.

Enel

O mês de janeiro começou com uma espécie de “enxurrada” de contas de luz com valores exorbitantes em Angra dos Reis. Em uma postagem na nossa página do Facebook, recebemos mais de mil comentários de pessoas que relataram verdadeiros saltos nos valores cobrados pela Enel entre os meses de dezembro e janeiro. A concessionária de energia elétrica nega que haja qualquer irregularidade no processo de medição e faturamento da companhia. Já o Procon Angra registrou aumento na procura.

O que começou com relatos espaçados em redes sociais de pessoas que receberam contas com valores fora do normal, virou uma verdadeira tempestade nos últimos dias, com moradores de todo o município afirmando que os preços cobrados pela Enel não se justificam se comparados com o aumento do consumo.

Uma moradora do Belém relatou que em Dezembro pagou R$75 de luz e em Janeiro o valor disparou para R$267. Outra consumidora, do Parque das Palmeiras, informou que sua conta foi de R$623 para R$1.372. Um empresário, cujo negócio ficou fechado por quase duas semanas no mês passado, registrou um aumento na conta de R$260 para R$796. Em Jacuecanga um consumidor relatou que sua conta foi de R$295 em dezembro para R$348 este mês. No Centro, a conta de luz de uma moradora foi de R$400 para R$850. Na Praia do Jardim, de R$300 para R$800. Promorar, de R$200 para R$340. Também recebemos relatos similares de locais como Campo Belo, Monsuaba, Japuíba, Balneário, Vila do Abraão, Biscaia, Banqueta, Morro do Carmo, Parque Mambucaba, Marinas, Village, Camorim, Morro do Moreno, Areal, Água Santa, Encruzo Enseada

Mas engana-se quem acha que o problema de contas com valores exorbitantes se restringe à Angra dos Reis. A Enel atende 66 municípios no Estado do Rio de Janeiro e consumidores de municípios como Mangaratiba, Paraty, Maricá e São Fidélis relatam situações similares. Em algumas cidades, como Casimiro de Abreu, os moradores já organizam protestos.

Enel nega irregularidades

Procurada, a Enel afirmou “que não há qualquer irregularidade no processo de medição e faturamento da companhia”. A empresa destacou ainda que “não houve alteração de tarifa no mês de janeiro/19. Além disso, a distribuidora ressalta que quando o consumo de energia ultrapassa 300 kWh, o ICMS que incide sobre a conta passa de 18% para 32%”.

A empresa explicou que “em uma conta de luz no valor de R$ 100, apenas R$ 22,7 são destinados às atividades da distribuidora, para operação, expansão, manutenção da rede de energia elétrica e para remuneração dos investimentos. Cerca de R$ 31,20 são destinados ao pagamento de impostos e R$ 12,6 são encargos setoriais. Além disso, R$ 26,5 são direcionados a custos de energia e R$ 6,9 à transmissão”.

Procon Angra registra alta de denúncias

Segundo funcionários do Procon de Angra dos Reis, nos últimos dias está sendo registrado um aumento de consumidores que reclamam das faturas emitidas pela Enel. O órgão alerta que quem for registrar uma reclamação deve estar munido de contas de energia e documentos de identificação.

O Procon de Angra dos Reis está localizado no 1º andar da Câmara Municipal de Angra dos Reis, na rua da Conceição nº 255, no Centro. O órgão funciona de 3ª a 5ª, de 10h às 12h e das 13h às 16h.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.