Seminário discute crescimento sustentável do comércio

Evento faz um diagnóstico do Rio de Janeiro, com ênfase no Sul do estado

O vice-prefeito de Angra, Leandro Silva, e o secretário municipal de Atividades Econômicas, Marcelo Oliveira, participaram na manhã desta quarta-feira, 30, no hotel Vila Galé, da abertura do Primeiro Encontro Regional realizado pelo Sistema Fecomércio RJ. No evento, jornalistas como George Vidor, Sidney Resende, Edmilson Ávila, Cristiana Lôbo e Antônio Gois apresentam, até esta sexta-feira, 1º de abril, o mapa estratégico do comércio na região, que embasa as propostas para o crescimento sustentável do setor comercial no estado do Rio, no período de 2016 a 2020.

O documento apresenta nove fatores-chave considerados fundamentais para garantir o desenvolvimento do setor e das diversas regiões do Estado: educação profissional, ambiente empresarial, segurança, tributação, logística e mobilidade urbana, relações com atores de interesse do comércio, conhecimento e gestão empresarial, serviços públicos de suporte e financiamento e eficiência operacional.

Leandro Silva considera importante a realização do evento. Segundo ele, este é o melhor momento para se discutir ações que falem de desenvolvimento do setor comercial.

– Estamos passando por momentos complicados na área econômica, por isso é sempre importante discutir o que pode ser feito para driblar a crise. Nós, aqui em Angra, temos feito isso. Nosso governo estruturou a junta comercial e diversas novas empresas foram abertas ou regularizadas, gerando novos empregos. Esse é um exemplo do nosso comprometimento – destacou Leandro.

Neste primeiro dia de evento, foram abordados assuntos como taxas de câmbio, inflação, indústria de petróleo, usinas nucleares e turismo. No encontro também foi feito um diagnóstico de todas as regiões do estado do Rio e, a região Sul, que abriga 1,6% da população do estado, vem apresentando um desempenho satisfatório em relação às outras.

O secretário de Atividades Econômicas falou sobre o diagnóstico. Segundo Marcelo Oliveira, os municípios do Sul do estado são permeados por atividades econômicas diversas, que sentem os efeitos da crise no país e no estado, mas conseguem sobreviver, investindo o que é possível para aquecer suas economias.

– Em Angra, por exemplo, o governo municipal procura apoiar os setores que potencialmente podem gerar divisas para a cidade. Esse é o caso da pesca. Nos últimos anos nós regularizamos um número significativo de embarcações pesqueiras e os trabalhadores do setor, o que representou uma injeção de mais de R$ 300 milhões na economia local – concluiu Marcelo.

Para mais informações sobre o evento, acesse www.mapadocomerciorj.com.br.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.