Sarau in Casa é respiro na Cultura de Angra

A iniciativa do Sarau in Casa, que nesta quinta-feira, 10, passou pela sua terceira edição, é muito importante para ajudar a revitalizar a desgastada cultura de Angra dos Reis por vários motivos. Entre eles está a formação de talentos e de público para as apresentações. Embora eu não tenha ido nas primeiras edições do evento, organizado por Bruno Pelego e Bruno Perez, ouvi relatos que a galera já está se soltando mais nos palcos, criando e deixando as borboletas da barriga voarem na hora de se apresentar.

Nesta noite, o ambiente intimista do sobrado da Casa de Cultura Brasil dos Reis virou um verdadeiro laboratório musical em clima familiar, daqueles que só se consegue encontrar em reuniões nas casas de amigos. Para reforçar o sentimento, entre uma apresentação e outra as crianças, que estavam ali acompanhadas pelos pais, aproveitavam para brincar e interagir naquele ambiente onde a música estava transpirando.

O esquema do Sarau é mais ou menos o seguinte: Duplas de músicos se revezam no palco apresentando composições próprias e uma das cosias mais legais que notei foram artistas, que não se conheciam até outro dia, estão trocando experiências, misturando saberes, notas e letras. Isso tudo é fundamental para que a massa da cultura cresça, se fortaleça, atraia mais gente e forme público, aquele ser medonho que alimenta os artistas com seus aplausos.

Evidente que tudo isso só está sendo possível graças ao apoio da secretária de Cultura, Marlene Ponciano, que abraçou a causa, mas prevejo que logo ela terá “problemas”, já que com a formação da Cena e o aumento de público, precisará de um local maior para estas apresentações!

Assista um pouquinho do que rolou:

Comentários