Procon interdita churrascaria em Paraty

Procon encontrou irregularidades em 14 estabelecimentos paratienses.

Procon encontrou  irregularidades em 14 estabelecimentos paratienses.

O Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, deu continuidade, nesta quinta-feira (11/06), à Operação Verde que te Quero Verde, em Paraty, iniciada na quarta-feira na Costa Verde Fluminense. Foram constatadas irregularidades em 14 dos 16 restaurantes e pousadas vistoriados. A churrascaria Senzala, na Praça Monsenhor Helio Pires, s/nº, foi interditada, entre outros motivos, por não ter o certificado de potabilidade da água, estar com o alvará provisório vencido em dezembro de 2014 e não apresentar o certificado do Corpo de Bombeiros. Além disso, oúnico extintor do estabelecimento estava despressurizado e havia fiação exposta na cozinha.

As piscinas da Pousada das Canoas (Avenida Roberto Silveira, 61) e da Pousada do Príncipe (Avenida Roberto Silveira, 69) foram interditadas em virtude da falta de salva-vidas registrados pelo Corpo de Bombeiros para cuidar dos banhistas. A Lei Estadual 3.728/2001 prevê que esse profissional é obrigatório em locais com piscinas com mais de seis metros de largura por seis metros de comprimento. As piscinas serão liberadas para uso apenas depois que as pousadas comprovem a contratação de salva-vidas habilitados.

Na operação desta quinta-feira, foram descartados 49kg de alimentos e 91 litros e 800ml de bebidas impróprias para o consumo. Não foram encontrados problemas no Bendita’s Restaurante (Rua Dr. Samuel Costa, 267) e no Coma Kilo (Avenida Roberto Silveira, 34, Chácara).

Balanço da Operação Verde que Te Quero Verde em Paraty:

1 – Pousada do Príncipe (Avenida Roberto Silveira, 69, Centro): Ausência de ficha de identificação para crianças e adolescentes, de cartaz da campanha “Diga não ao turismo sexual”, de cartaz sobre hospedagem crianças e adolescentes, do Código de Defesa do Consumidor, de preservativos, de folheto explicativo sobre a Aids, de cartaz sobre crimes e penas da exploração sexual infantil e de salva-vidas registrado pelo Corpo de Bombeiros na piscina. Foram encontrados problemas na acessibilidade de portadores de necessidades especiais. Produtos vencidos: 100g castanha de caju e 300g de pão de hambúrguer. A piscina foi interditada até que se comprove a contratação de um salva-vidas habilitado.

2 – Banana da Terra Restaurante (Rua Dr. Samuel Costa, 198, Paraty): Produtos vencidos: 1kg de camarão, 500g de pralinè e 500g de farofa de castanha de caju.

3 – Barril (Rua Marechal Deodoro, 27): 45 litros de chope (em um barril de 50 litros) sem informação sobre a validade e sem lacre. Produtos sem informação: 400g de camarão, 700g de bacalhau e 1kg e 100g de lula; ausência do Livro de Reclamações, do Código de Defesa do Consumidor e do cartaz do 151. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para apresentar os certificados de dedetização e de potabilidade da água.

4 – Restaurante do Hiltinho (Rua Marechal Deodoro, 233): Produtos vencidos: 2kg de linguiça de pernil vencida em 24/03/2015, 500g de queijo muçarela, 150g de presunto, 12 latas (de 350ml cada) de Coca-Cola Zero; 300g de casquinha de siri sem informação de validade. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para apresentar os certificados de dedetização e de potabilidade da água.

5 – Pousada das Canoas (Avenida Roberto Silveira, 61, Chácara): Ausência de ficha de identificação para crianças e adolescentes, de cartaz da campanha “Diga não ao turismo sexual”, de preservativos, de folheto explicativo sobre a Aids, de cartaz sobre crimes e penas da exploração sexual infantil e de um salva-vidas registrado pelo Corpo de Bombeiros na piscina. Foram encontrados problemas na acessibilidade de portadores de necessidades especiais; 150g de frios sem especificação da validade; certificado de dedetização vencido em 09/06/2015. A piscina foi interditada até que se comprove a contratação de um salva-vidas habilitado.

6 – Restaurante Casa Coupe (Praça Monsenhor Hélio Pires, 6): Produtos sem especificação da validade: 1kg de molho de hortelã, 900g de tofu, 1kg e 600g de frutos do mar, 800g de salmão, 35 litros de chope em um barril de 50 litros; lixeira da cozinha com a tampa aberta; ausência do Livro de Reclamações e do certificado de potabilidade da água.

7 – Restaurante Casa do Jessé (Avenida Roberto Silveira, 31): Produtos vencidos: 1kg e 600g de filé mignon, 400g de requeijão vencido em 05/02/2015, 300g de salame em 25/11/2014, 500g pão de forma e 450g pão de forma de aveia; ausência do Código de Defesa do Consumidor e do Livro de Reclamações.

8 – Bartholomeu (Rua Dr. Samuel Costa, 176): 500g de lula vencida 05/06/2015; 1kg de filé de pescado, 500g de polvo sem especificação da validade; produtos estocados em contato direto com o chão; dois extintores vencidos em setembro de 2014, na área do restaurante; Ausência do Livro de Reclamações. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação da troca dos extintores e do certificado do Corpo dos Bombeiros. O mesmo prazo foi dado para a melhoria das condições de higiene e de estocagem da cozinha.

9 –Restaurante da Gina (Rua Dr. Samuel Costa, 245): Produtos sem especificação: 2kg de massa,2kg de carne,2kg de frango,500g de linguiça,1kg de queijo,500g de molho, 400g de peixee 100g de lula; ausência de Livro de Reclamações; lixeiras sem pedal na cozinha.

10 –Sabor da Terra (Avenida Roberto Silveira, 80):11 latas (de 350ml cada) cerveja caracu vencida;150g de champignon e 400g de requeijão sem especificação da validade;ausência do Código de Defesa do Consumidor; baratas mortas no freezer;lixeira sem acionamento automático.

11 – Churrascaria Senzala (Praça Monsenhor Helio Pires, s/nº): Produtos vencidos: 800g de chucrute com bacon vencido em 17/01/2015, 250g de kassler vencido em 30/12/2014, 250g de salsicha branca com salsa vencida em 31/12/2014 e 450g de molho rosé vencido em 31/05/2015; 400g de bobó, 600g de queijo gongorzola, 2kg e 800g de linguiça e 3kg e 400g de frango sem informação do prazo de validade; dedetização vencida em março de 2015, ausência do certificado de potabilidade da água e do Livro de Reclamações, alvará provisório vencido em dezembro de 2014. Não foi apresentado o certificado do Corpo de Bombeiros. O único extintor do estabelecimento estava despressurizado. Fiação exposta na cozinha. O estabelecimento foi interditado até que as irregularidades sejam sanadas.

12 – Quintal Verde (Rua josé Milton de Oliveira, 198): Produtos vencidos: 8 garrafas (de 250ml cada) de cerveja Kaiser, 5 garrafas (de 350ml cada) de cerveja Desperados, 800g de queijo coalho; 2kg de camarão e 200g de molho tártaro sem especificação da validade; ausência do Livro de Reclamações.

13 –Restaurante e Pizzaria da Cidade (Rua Tenente Francisco Antônio, 40): Produtos vencidos: 2 embalagens de ketchup (de 1kg e 160g cada) vencido em 24/02/2015, 1kg e 500g de queijo minas; ausência dos certificados de dedetização e de potabilidade da água; produtos sem especificação da validade: 1kg e 200g de caldo verde, 1kg e 200g de caldo de abóbora, 1kg e 200g de caldo de feijão, 800g de frutos do mar, 2kg e 100g de molho de champignon, 200g de linguiça calabresa e 300g de carne seca.

14 – Restaurante Cafe Paraty (Rua Tenente Francisco Antônio, 41): Lixeiras sem tampa e sem pedais na cozinha; os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação do certificado de potabilidade da água.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.