Prefeitura de Mangaratiba vai migrar para software livre

0 1

Redução de custos, otimização dos serviços e rede de trabalho mais estável são os motivos da mudança para o sistema operacional livre, o Linux.

Numa iniciativa inédita, a secretaria de Tecnologia da Prefeitura de Mangaratiba começou os estudos para implantação e migração para o sistema Linux nos computadores dos setores administrativos das secretarias. Os objetivos da medida são: redução de gastos, uma vez que a nova plataforma é gratuita; diminuição das panes; redução da incidência de vírus nos sistemas; e ter uma rede de informática mais estável.

Para Celso Paula Junior, secretário de Ciência e Tecnologia, além da questão econômica, a mudança vai dar mais agilidade ao trabalho diário dos setores. “O software livre pode ser aperfeiçoado e redistribuído a qualquer proprietário. Ganharemos com a customização e personalização. É um projeto a médio prazo, vamos fazer a mudança aos poucos, porque há programas mais antigos que ainda não são de fácil conversão, mas o objetivo é deixar toda a máquina administrativa da prefeitura com o novo sistema. Por enquanto estarão fora o sistema de alguns setores que contam com programas específicos de atendimento.

Hugo Dourado, subsecretário da pasta, diz que a mudança é para melhor, mas admite que o complicado será o impacto para os usuários, acostumados ao Windows. “O pessoal já está acostumado, e mudar o sistema que todos estão habituados é que será o grande desafio. O segredo da migração para o Linux é treinar o usuário, e isso vamos fazer”, diz Hugo.

A nova plataforma será moldada conforme a necessidade e o perfil de cada secretaria da prefeitura. A secretaria de Ciência e Tecnologia fará também uma campanha para escolher a logomarca da plataforma. O público saberá em breve como poderá contribuir com a escolha. A equipe da prefeitura já definiu que o boto cinza será o símbolo do programa (no Linux é o pinguim). Em breve serão divulgados todos os detalhes do concurso.

EXEMPLO DE SUCESSO

O uso do software livre, segundo os especialistas da área, é uma alternativa para a redução da exclusão digital, é viável em equipamentos obsoletos, confere liberdade de alteração que facilita a criação de modelos de fácil administração e é uma opção segura em longo prazo.

Diversas organizações públicas vêm implantando com sucesso esse novo modelo. O fator de maior relevância acaba sendo a redução de custos, que podem ser revertidos em melhorias em infraestrutura ou em serviços.

É com essa mentalidade, que muitas organizações públicas têm investido nesse novo sistema. É o caso do Banco do Brasil, que iniciou suas atividades nessa área no ano 2000 e hoje já conta com diversos softwares livres instalados e disseminados por toda a organização. A economia gerada somente com a adoção do aplicativo openoffice.org e do sistema GNU Linux atingiu a marca de mais de 50 milhões em 2009.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: