Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

MPRJ e PF cumprem 17 mandados de prisão por envolvimento no tráfico no Rio, Volta Redonda e Angra

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Federal, realizaram na última quinta-feira, 14, a operação Camará.

Na ação, foram cumpridos 17 mandados de prisão preventiva contra acusados por participação no tráfico de drogas no Rio de Janeiro, em Volta Redonda e Angra dos Reis. Todos foram denunciados por tráfico de entorpecentes, associação para o tráfico, porte ilegal de armas e corrupção.

De acordo com o MPRJ, o trabalho de investigações começou em agosto de 2016. Desde então foram apreendidos quase 15 kg de drogas e diversas armas. O principal alvo da ação era Flávio Ricardo Muniz da Silva, conhecido como “Spin”. Ele estava foragido da Justiça há mais de dez anos. Outro dos principais alvos da operação foi Clayton Rangel Cirino, conhecido como “Urso”. Segundo a denúncia, mesmo tendo sido preso ao longo das investigações, ele continuava atuando para o tráfico de dentro da cadeia.

Entre os denunciados também está Fernanda da Silva Landim. Em outubro de 2016, ela foi presa em flagrante, portando cerca de 500g de substância entorpecente dentro de um ônibus que fazia transporte comercial de passageiros  do Rio de Janeiro para Volta Redonda.

Segundo o MPRJ, a organização criminosa investigada mantinha relação com traficantes de diversas cidades do Estado do Rio e até de outros estados, especialmente com fornecedores de drogas radicados em cidades de São Paulo. De acordo com a denúncia, eles também se utilizavam de adolescentes para a prática criminosa, tirando proveito do tratamento penal diferenciado conferido aos menores de idade pela legislação.

As investigações também apontam que o grupo agia usualmente de forma  violentíssima, com emprego de armas de fogo, o que propiciou à organização o domínio territorial de diversas comunidades em Volta Redonda, Angra dos Reis e no Rio de Janeiro, dando aos denunciados alta e expressiva arrecadação financeira com a exclusividade na exploração do tráfico de drogas nesses locais.

 

 

 

 

Comentários