Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Ministério do Trabalho na luta contra demissões no Brasfels

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos, participou nesta quinta-feira, 4, em Brasília, de uma reunião com Ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, sobre a questão das demissões do Brasfels e da dívida da Sete Brasil com o estaleiro. O encontro foi agendado pelo senador Lindbergh Farias (PT), que acompanhou os sindicalistas.

Na reunião com o ministro, o presidente do sindicato, Manoel Sales, pode relatar toda a situação pela qual vem passando o estaleiro Brasfels, que ao longo dos últimos 16 meses está sem receber pagamentos por parte da da Sete Brasil e ainda assim honrou seus compromissos financeiros com os trabalhadores. Porém, agora, a empresa teve que realizar um processo e demissões de quase mil trabalhadores, o que afetou a economia de todo a região da Costa Verde.

Manoel falou também sobre as encomendas das seis sondas, das quais duas já estão praticamente prontas, mas sem pagamento, e também da possibilidade do estaleiro receber novas obras de pequeno e médio porte, mas que para isso se concretize, seria importante a participação efetiva do governo federal.

O ministro Miguel Rossetto afirmou que vai, logo após o carnaval, fazer contato com a direção da Brasfels para acompanhar de perto este processo de demissões, assim como fez na CSN em Volta Redonda. Ele também fará contato com a nova direção da superintendência do trabalho no Rio de Janeiro, na pessoa do Sr. Robson Leite, e disse que solicitará que todo apoio seja dado ao sindicato, reforçando que o ministério está de portas abertas para o sindicato metalúrgico.

O senador Lindbergh Farias saiu otimista da reunião e colocou seu mandato e a toda a estrutura de seu gabinete a inteira disposição da diretoria.

Prefeitura e Câmara de Angra apoiam a luta dos trabalhadores

2016-02-04_Reuniao Keppel Fels_Fotos_Luiz Eduardo de Araujo (1)O prefeito em exercício, Leandro Silva, o presidente da Câmara, Marco Aurélio Vargas, o vereador Godinho e representantes da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos, reuniram-se nesta quarta-feira, 3, no Rio de Janeiro, com a diretoria da Brasfels. A pauta foi à crise que a construção naval do Brasil vem enfrentando. Segundo Leandro, o executivo municipal se colocou à disposição para contribuir no sentido de encontrar soluções para os problemas que a empresa vem enfrentando e por conta disso sendo obrigada a demitir trabalhadores.

Da direção da Brasfels, o prefeito em exercício ouviu o relato dos principais problemas que vem comprometendo o setor. Um deles é o preço do barril de petróleo que caiu de U$ 115 para U$ 30 nos últimos anos. Outra questão é a da Sete Brasil, que contratou o Brasfels para a construção de quatro plataformas mas, por conta da crise da Petrobrás, não paga por esses contratos desde 2014, o que tem sido a principal causa das demissões.

– A diretoria da Brasfels se mostrou apreensiva quanto à situação, mas também relatou que está procurando alternativas para contornar a crise. Propostas do setor privado têm sido discutidas e elas podem ser a chave para a manutenção dos empregos do estaleiro – relatou Leandro.

Segundo o vereador Marco Aurélio Vargas, os representantes da empresa foram muito transparentes em relação à atual situação.

– A diretoria do Brasfels nos explicou, com muita responsabilidade, o momento delicado pelo qual passa a empresa, devido à dívida de mais de 2 bilhões de dólares da Sete Brasil e a crise pela qual atravessa a Petrobras. Eles nos disseram que por mais de um ano, com recursos próprios, conseguiram segurar o processo demissionário, o que, neste momento, tornou-se inevitável – informou Marco Aurélio.

O presidente do Legislativo lembrou que, durante o último ano, houve várias agendas em Brasília, com o Ministro de Minas e Energia, na sede da Petrobras e no próprio Estaleiro para evitar que a crise da indústria naval afetasse os trabalhadores do município.

– Acompanhei cada passo nesta tentativa de negociação para quitação das dívidas da Sete Brasil para com o Brasfels. A empresa foi muito clara ao afirmar que não gostaria de estar demitindo, mas nosso país está enfrentando uma crise financeira muito séria que comprometeu o setor naval. Quanto a possibilidade de novas demissões, só a diretoria do estaleiro poderá definir. A boa notícia é de que os trabalhadores demitidos terão o direito de voltar, pois não tiveram suas fichas sujas. Sabemos que a demissão destes trabalhadores surtirá um efeito cascata em toda a economia de nossa cidade. Por isso, temos que unir forças e buscar soluções para o problema, de forma consciente e madura – destacou o vereador.

O secretário de Atividades Econômicas do município, Marcelo Oliveira, também esteve na reunião do Rio e considerou proveitoso o encontro.

– A diretoria da Brasfels nos recebeu muito bem e se mostrou empenhada em solucionar a questão das demissões, o que nos deixou um pouco mais tranquilos. Ainda assim nos colocamos à disposição para continuar trabalhando para construir uma solução definitiva para o problema – destacou Marcelo.

 

 

Comentários