Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Ministério da Educação confirma faculdade de medicina em Angra

Conquista da universidade será um legado do governo Conceição Rabha.

Após um trabalho intenso do Governo de Angra, tendo a prefeita da cidade, Conceição Rabha, participado direta e pessoalmente de todo o processo inscrição e qualificação documental, a boa notícia chegou. O Ministério da Educação (MEC) confirmou, na terça-feira, 27, a abertura da Faculdade de Medicina no município. Angra foi escolhida como sede do curso de medicina após um processo seletivo com centenas de outros municípios de todo o país.

– Termos uma faculdade de medicina em Angra é um sonho de muitas gerações, que estamos tornando realidade. Isso trará não apenas o curso em si, nos dando a chance de formar médicos aqui, mas também uma série de outros benefícios indiretos, que poderão fazer de Angra, em poucos anos, um polo universitário importante no estado do Rio de Janeiro. Estou muito feliz por deixar também este grande legado – revelou a prefeita Conceição.

Serão, inicialmente, 55 vagas administradas pela Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá, empresa vencedora da licitação. Em seis anos, tempo que dura a graduação no curso, serão cerca de 600 alunos matriculados. Os recém-formados farão residência nas principais unidades de saúde pública da região, fortalecendo o corpo médico. Entre outros critérios, Angra atendeu à quantidade suficiente de leitos: 375 em todo o município.

INVESTIMENTO EM SAÚDE FOI DECISIVO

Os investimentos no Sistema Único de Saúde (SUS) e no Programa Mais Médicos, além de proporcionarem uma boa infraestrutura para as demandas que a faculdade irá gerar, contaram pontos para a escolha de Angra. O edital exigia que o município apresentasse o mínimo de cinco leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) por aluno e de três alunos por equipe de atenção básica, leitos de urgência e emergência ou pronto-socorro e residências médicas nas especialidades prioritárias do Mais Médicos.

COMO FOI A SELEÇÃO DAS CIDADES

O processo de seleção e avaliação dos municípios interessados em sediar universidades de medicina, iniciado em outubro de 2013, foi realizado por uma comissão de especialistas, sob a coordenação da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) do MEC. Ao todo, 205 municípios manifestaram interesse em sediar os cursos e 154 encaminharam a documentação solicitada. Foram pré-selecionados 49. Destes, 37, incluindo Angra, preencheram os requisitos para receber os cursos.

Para sediar a faculdade, Angra dos Reis cumpre alguns critérios. A cidade possui 275 leitos distribuídos entre o Hospital Geral da Japuíba (170 leitos), Fundação Eletronuclear de Assistência Médica (55 leitos) e Santa Casa (150 leitos). Além disso, Angra tem uma Unidade de Pronto Atendimento, um Centro de Apoio Psicossocial (CAPs), dois centros de especialidades, um Centro de Informação de Radioepidemiologia, 62 equipes de ESF, além da implantação da residência em Medicina de Família e Comunidade.

COMO FOI O PROCESSO DE LICITAÇÃO DA UNIVERSIDADE

O edital de chamada pública das universidades foi publicado em 23 de dezembro de 2014. O Edital nº 6/2014 da Seres resultou de amplo debate com a sociedade, em audiências e em consulta pública. A elaboração do documento contou com contribuições da comunidade acadêmica, instituições de educação superior, associações e sindicatos vinculados à área do ensino de medicina. Os critérios de seleção previstos são indicadores de qualidade, sustentabilidade financeira e propostas de curso.

A Universidade Estácio de Sá foi a vencedora e será a instituição de ensino responsável pela implantação do curso de medicina em Angra dos Reis. O resultado foi divulgado pelo Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), ainda em 2015.

Comentários