Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Metalúrgicos voltam ao trabalho no Brasfels

Empresa considerou a greve ilegal e não descarta medidas judiciais contra o Sindicato.

Em assembleia realizada na manhã desta quinta-feria, 23, o Sindicato dos Metalúrgicos de Angra dos Reis decidiu voltar ao trabalho após uma greve que durou três dias. Segundo informações da categoria, a proposta de retorno às atividades foi tirada durante uma audiência de conciliação, que ocorreu na sede do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. Em nota divulgada ontem pelo Angranews, a direção do estaleiro lamentou a decisão dos trabalhadores de cruzar os braços no início desta semana.

13528682_1751246671826149_4487279040843835545_n
Assembleia ocorreu nesta manhã

– Gostaria de agradecer o voto de confiança dos trabalhadores à nossa proposta de consenso, e seguiram a orientação dada pela desembargadora e temos a certeza que avançamos e teremos um desfecho positivo para todo este processo – afirmou, por meio de nota, o presidente do Sindicato, Manoel Sales.

Uma nova reunião entre a comissão de negociação e a direção da empresa, está prevista para acontecer nesta sexta-feira, 24. A expectativa da categoria é que uma nova proposta seja apresentada.

Empresa considera greve ilegal

Informativo entregue aos trabalhadores
Informativo entregue aos trabalhadores

Nesta quarta-feira, a direção do estaleiro Brasfels emitiu um informativo aos trabalhadores na qual a empresa rejeita algumas informações divulgadas pelo Sindicato, em especial quanto à adesão ao movimento. A direção afirma que a greve, deflagrada esta semana pela categoria foi ilegal, já que não teria sido aprovada pela maioria dos trabalhadores. A empresa afirmou que já notificou o Sindicato dos Metalúrgicos e está tomando as medidas judiciais cabíveis para resolver essa questão.

“Desde segunda-feira, os colaboradores estão sendo impedidos pelo Sindicato de entrar na empresa e os que conseguem passar pelo bloqueio são ameaçados pelos sindicalistas. Dessa forma, o Sindicato está forçando os trabalhadores a apoiar uma greve que foi rejeitada pela grande maioria”, afirmou a empresa por meio do comunicado.

Comentários