Menos Médicos: saída de cubanos desfalca 10 Postos de Saúde de Angra

A Prefeitura de Angra dos Reis informou nesta terça-feira, 20, que o município perderá 10 médicos do programa Mais Médicos que atuam no município, já que Cuba anunciou que deixará o programa, fazendo com que 8.517 profissionais cubanos que atuam em todo o país voltem para a ilha caribenha. Cerca de 28 milhões de pessoas devem ficar sem atendimento pelo Brasil.

Ainda segundo o município, os médicos cubanos atendem em unidades de Atenção Básica e as comunidades afetadas com a saída destes profissionais são: Vila Campo Belo, Areal 1, Areal – Campo Belo 2, Parque Mambucaba 5, Bracuí 2 e 3, Jacuecanga, Belém 1, Gamboa Ribeira e Japuíba 1. Vale destacar que os outros 22 médicos do programa continuarão atuando normalmente.

Governo Federal abre edital emergencial para o Mais Médicos

A saída de Cuba do programa Mais Médicos se deu após declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro de que usaria o Revalida para expulsar os cubanos do Brasil. Segundo nota da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), cerca de 28 milhões de pessoas de todo o país ficarão sem atendimento médico graças a saída de Cuba do programa Mais Médicos.

A CNM se mostrou temerosa com os efeitos da saída de Cuba dos programa Programa Mais Médicos (PMM), parte de um esforço conjunto da União, dos Estados e dos Municípios para melhoria do atendimento aos usuários do SUS a partir da interiorização e fixação de médicos em regiões onde há escassez ou ausência desses profissionais. O PMM é considerado porta de entrada preferencial do SUS, resolvendo 80% dos problemas de saúde.

Um novo edital do Programa Mais Médicos foi lançado nesta terça-feira, com um total de 8.517 vagas de atuação em mais de 2.800 municípios, entre eles Angra dos Reis, que deve receber dez médicos. As inscrições poderão ser feitas até as 23h59 do dia 25 de novembro. Em um primeiro momento, poderão participar médicos brasileiros e estrangeiros que possuam o CRM brasileiro.

Um segundo edital será lançado no dia 27 de novembro. Nessa seleção, poderão concorrer às vagas médicos brasileiros formados no exterior e estrangeiros que não tenham o CRM brasileiro. Mas, para exercer a profissão, terão que passar pelo exame Revalida.

Boatos sobre o caso

O Estadão fez levantamento desmentindo boatos que surgiram nos últimos dias sobre a atuação de Cuba no programa, como a de que a ilha teria apenas duas faculdades de medicina (na verdade são 25), sobre a o tempo de formação dos médicos cubanos, o mesmo que o dos brasileiros, e de que médicos brasileiros estariam sendo preteridos em prol dos cubanos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.