Maria Bethânia e Cleonice Berardinelli se encontram em mesa sobre Fernando Pessoa

wpid-779_ng-1.jpg
Compartilhe!

image

Movidas pelo mesmo entusiasmo pela poesia de Fernando Pessoa, a cantora Maria
Bethânia e a professora Cleonice Berardinelli, membro da Academia Brasileira de Letras, subirão juntas ao palco da Flip para homenagear o poeta português.

Professora emérita da UFRJ e da PUC-Rio, Cleonice, 96 anos, soma mais de cinco décadas
dedicada ao estudo do poeta. Em 2012, lançou Fernando Pessoa – Antologia Poética,
prestigiada coletânea que abrange quase 20 anos de produção do autor e seus principais
heterônimos (Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis). Tida como a maior
lusitanista brasileira, “dona Cléo”, como é conhecida, é autora também de Fernando Pessoa:outra vez te revejo e de uma série de estudos sobre Camões, Bocage e Gil Vicente.

A relação de Bethânia com os versos de Pessoa é igualmente intensa. Em 1971, a cantora impactou o público com seu show Rosa dos Ventos. Transformado em disco ao vivo, o espetáculo intercalava canções e poemas – três deles de Pessoa – numa mistura que se tornaria uma espécie de marca registrada da cantora de Santo Amaro da Purificação. Posteriormente, em albuns como Drama (1972), Pássaro da Manhã (1977) ou Imitação da Vida
(1997) ela voltaria a Pessoa, declamando trechos do Livro do Desassossego, versos do poeta ou de seus heterônimos, ajudando a difundir e popularizar versos tão célebres como “Todas as cartas de amor são ridículas”.

Seu álbum mais recente, Oasis de Bethânia, lançado em 2012, vem recheado dehomenagens a Portugal, com uma faixa dedicada ao fado, e a interpretação de “Não sei quantas almas tenho”, de Pessoa. “Tenho um elo forte com a poesia de Fernando Pessoa,
que é o poeta de minha vida”, afirma a cantora. No ano passado, ela viajou pelo Brasil comseu espetáculo mais recente, Maria Bethânia e as palavras. “Eu chamo essa leitura de exercício de delicadeza. No tempo de hoje, alguém querer ouvir poesia é bem difícil.”

Em 2010, Bethânia e Cleonice receberam da Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, a
“Medalha do Desassossego”, destinada a quem presta serviços relevantes na divulgação do
autor. Grandes amigas, as duas estiveram juntas também no lançamento da Antologia de
Cleonice, evento em que Bethânia cantou e declamou alguns versos. O reencontro na Flip
promete ser especialíssimo.