Empoderamento feminino é destaque no Legislativo

Empoderamento feminino é destaque no Legislativo

30/05/2017 0 Por Redacao

Palestra motivacional, idealizada pela vereadora Titi Brasil, fecha o mês das mães na Câmara.

Empoderamento feminino – seja a sua melhor versão. Este foi o tema da palestra motivacional ministrada no Plenário da Câmara Municipal de Angra dos Reis, no fim da tarde desta segunda-feira, dia 29. O evento, idealizado pela vereadora Titi Brasil, em homenagem ao mês das mães, contou com a presença da bancada feminina do Legislativo e do 1º vice-presidente da Casa, vereador Canindé do Social.

– Achei este tema importantíssimo para trazermos à tona no mês das mães. Tenha certeza de que foi uma excelente oportunidade para dar um up na mulherada de nossa cidade – revelou a vereadora Titi Brasil.
As vereadoras Jane Veiga e Luciana Valverde fizeram questão de parabenizar Titi Brasil pela iniciativa e destacaram o que para elas representa o empoderamento.

– Empoderamento significa ser autor da nossa própria vida, decidindo nossos horários, nossas prioridades. Esta bancada feminina da Câmara é prova de que isso é possível – destacou Jane Veiga, sendo apoiada por Luciana Valverde.

– A importância do empoderamento feminino deve ser um assunto tratado todos os dias e esta Casa, mais uma vez, cumpre seu papel na defesa dos direitos da mulher – sublinhou a parlamentar.

O 1º vice-presidente do Legislativo, vereador Canindé do Social, também fez questão de abordar a importância do tema.

– As mulheres têm que estar cientes de seus direitos e nós, enquanto representantes do povo, vamos estar nesta luta pela igualdade dos gêneros – frisou.

A psicóloga Márcia Moraes, uma das palestrantes, explicou o intuito da abordagem do tema.

– Nosso intuito é que as mulheres consigam se empoderar, se conhecer e, através deste conhecimento, ganhar mais autonomia e felicidade – explicou, com o apoio da coach Luana Souza, que também ministrou o assunto.

– O empoderamento é um tema que está muito em foco. Quando a mulher se sente pertencente a si mesma, vai se sentir pertencente à sociedade e, consequentemente, poderá empoderar o outro – finalizou a profissional.