Flip 2013 entra na reta final de montagem e ganha forma

Flip
Compartilhe!

FlipA montagem das tendas para a Festa Literária Internacional de Paraty chega à reta final na preparação para o evento que começa no dia 3 de julho. A organização estima que a edição deste ano, a 11ª da história da Flip, reúna de 20 mil a 25 mil pessoas, número semelhante ao do ano passado.

A previsão é que a montagem siga até no máximo 1º de julho. As Tendas dos Autores, do Telão e Autógrafos começaram a ser erguidas, enquanto as da Flipinha (evento voltado para as crianças) e da Biblioteca ainda ganharão forma. As obras começaram no último dia 10 e terá como últimos detalhes os acertos de som e luz. “A gente faz um ensaio geral, simulando o dia que tem o evento. É um ensaio técnico”, explica Belita Cermelli, diretora-executiva da Flip e da Associação Casa Azul, que organiza o evento.

Aproximadamente 720 pessoas, além de voluntários, estão envolvidas na organização da festa literária. Entre os profissionais estão designers, arquitetos, recepcionistas, produtores e técnicos. Aqueles que forem a Paraty em julho irão conferir o resultado desse trabalho, mas quem deixou para a última hora dificilmente conseguirá hospedagem.

Às vésperas do evento, a Secretaria de Turismo de Paraty estima que a taxa de ocupação esteja em 98%. “Neste estágio, o visitante só consegue uma vaga se houver a desistência de outros. O grande fluxo de reservas está entre dezembro e fevereiro, quando o pessoal fecha a maioria das taxas de hotel”, afirma Nicolas Graf, diretor de comunicação e marketing da Secretaria.

O diretor lembra que além de hotéis e pousadas, há campings, albergues e moradores que alugam casas durante a Flip. A secretaria estima que o município tenha pelo menos 11 mil leitos divididos em aproximadamente 450 hotéis e pousadas, número pode chegar a 14 mil ou 15 mil somando os outros meios de hospedagem. Atrair tanta gente faz com que a festa se torne o carro-chefe do turismo da cidade e supere eventos como o popular Festival da Cachaça da cidade. “Além de atrair o maior número de visitantes, a Flip também atrai o público com maior poder aquisitivo”, afirma Nicolas Graf.

Na primeira Flip, em 2003, o público foi de 5.000 participantes. As últimas edições tiveram público entre 20 mil e 25 mil.

Em 2013, a Flip chega à 11ª edição com uma homenagem ao alagoano Graciliano Ramos, que completaria 120 anos em outubro do ano passado. Com convidados menos conhecidos do grande público do que em 2012 — quando contou com Ian McEwan, Jonathan Franzen e Zuenir Ventura, entre outros —, o evento irá reunir nomes como John Banville, Karl Ove Knausgård, Lydia Davis e Michel Houellebecq. Além das mesas, a festa literária conta com uma programação de atrações paralelas.

O Globo