Empresas concessionárias de energia elétrica e telefonia deverão remover postes gratuitamente

Compartilhe!

Os moradores de Angra dos Reis, acostumados a conviver em ruas estreitas e calçadas esprimidas estão começando a sentir os efeitos positivos da Lei 2.583, sancionada pelo prefeito Tuca Jordão (PMDB). A lei, inédita no país, é de autoria do vereador Jorge Eduardo Mascote (PMDB) e entrará em vigor no dia 18. A lei trata da obrigatoriedade das concessionárias ou empresas privadas de energia elétrica ou de telefonia em remover postes que obstruam frentes de residências ou empresas.
Diversas ruas do Centro da cidade e Japuíba são afetadas pelo problema que impede a utilização das calçadas pelos pedestres que não têm outra alternativa se não disputar espaço nas ruas com os carros. Segundo o vereador, a remoção de postes no município sempre foi uma questão de muita reclamação e elevadas taxas cobradas da população. Há casos em que a fiação elétrica de alta tensão passa a poucos centímetros de janelas e lajes das construções. Isso ocorre porque os postes seriam colocados em locais inadequados. Jorge Eduardo afirma que as empresas chegavam a cobrar até R$ 3 mil pela retirada dos postes e faturar cerca de R$ 500 mil por mês.
“Não dá pra aceitar que a população pague por um serviço que a rigor deveria ser satisfatório, mas que em muitos casos sua má execução põe suas próprias vidas em risco. Não pretendo prejudicar as empresas envolvidas. Pretendo incentivá-las a prestarem um serviço que satisfaça a população e que não traga custos quando mal executado”, comentou o vereador.
No centro, o problema é facilmente detectado em ruas como Frei Inácio e Conceição, onde se tornou impossível transitar pela calçada por causa dos postes que impedem a passagem. A comerciante Renate Weber conta que a Rua Frei Inácio é passagem para os alunos deficientes visuais que estudam próximo ao local e que tem notado o risco que eles correm ao ter que desviar dos postes, passando pela rua. Só na Rua Frei Inácio, próximo ao Colégio Estadual Nazira Salomão, três postes estão em posição irregular.

Fonte: Jornal A Voz da Cidade