Empreiteiro de Angra 3 cita ‘promessa de propina para almirante’

Obras de Angra 3
Compartilhe!

De acordo com informações do jornal O Estado de São Paulo, o empreiteiro Dalton Avancini, diretor-presidente da Camargo Corrêa Construções e Participações, revelou a existência de cartel nas contratações e pagamentos nas obras da Usina Nuclear Angra 3 e citou o nome do diretor-presidente da Eletrobras Eletronuclear – subsidiária estatal para o setor de energia nuclear -, almirante Otthon Luiz Pereira da Silva, em sua delação premiada.

Avancini disse que “ouviu dizer” que havia uma promessa de propina para o militar. A obra da Usina de Angra 3 foi reiniciada em 2009. Na época, estava orçada em R$ 7 bilhões e com previsão atual de custar R$ 15 bilhões. A obra deve ser entregue em 2018.

O almirante Othon Luiz Pereira da Silva, presidente da Eletronuclear, negou, por meio de assessoria de imprensa, qualquer irregularidade.

“Não recebi propina nem relativa à obra da Usina Angra 3, nem a qualquer outra obra. Minha vida é transparente. Vivo da aposentadoria da Marinha e como presidente da Eletronuclear.”