Eletronuclear antecipa desligamento de Angra 1

Problemas na rede elétrica externa causaram a antecipação do desligamento de Angra 1

Em função de problemas na rede elétrica externa, a parada de reabastecimento da Usina Angra 1, que estava programada para iniciar no dia 9 de maio (sábado) à 0h, foi antecipada. Assim, a unidade já se encontra desconectada do Sistema Interligado Nacional (SIN) desde às 14h58 da última quinta, 7.

Trata-se de uma parada com duração estimada de 37 dias. Durante este período, o Operador Nacional do Sistema (ONS) realizará manobras no sistema elétrico de forma a garantir o abastecimento seguro de energia.

Cerca de 1/3 do combustível nuclear será recarregado, além de serem realizadas atividades de inspeção e manutenção periódicas e também instalações de diversas modificações de projeto, que precisam da Usina desligada para serem realizadas.

Foram contratadas firmas nacionais e internacionais que irão disponibilizar 1.350 profissionais (sendo 130 estrangeiros) para dar suporte aos técnicos da Eletronuclear.

Dentre as cerca de 3.900 tarefas planejadas para o período, destacam-se:

  • Recarregamento do combustível do reator;
  • Manutenções nos Transformadores de 500kV e 138kV;
  • Manutenção na Chave de Abertura em Carga – LBS;
  • Execução de inspeções e testes nos Geradores de Vapor;
  • Revisão do Gerador Elétrico Principal e Excitatriz;
  • Substituição das Juntas de Expansão das Extrações de Vapor da Turbina;
  • Inspeções, limpeza e troca do revestimento dos condensadores;
  • Substituição do Motor de uma das Bombas de Água de Circulação;
  • Manutenção e substituição de itens das Bombas de Refrigeração do Reator;
  • Revisão Geral dos Barramentos;
  • Reparo dos Trocadores de Calor do Sistema de Refrigeração de Componente;
  • Manutenção de uma das linhas de Água de Serviço;
  • Teste dos cartões do Sistema de Proteção do Reator.

Sobre as paradas da Usina:

As paradas para reabastecimento ocorrem a cada 12 meses, aproximadamente, e são programadas com pelo menos um ano de antecedência, levando-se em consideração a duração do combustível nuclear e as necessidades do Sistema Interligado Nacional. Neste ano, em especial, o planejamento também precisou considerar a realização das Olimpíadas em 2016, de modo a não comprometer o fornecimento de energia durante o período dos jogos.

Comentários