Disputa entre Sindicato e candidato a Deputado ganha novo capítulo

Christiano Alvernaz usou as redes sociais para dizer que a justiça atestou sua inocência. Sinspmar apresenta documento no qual delegado afirma que apenas pediu mais tempo para investigações.

Sindicato vai às redes sociais rebater informações de Alvernaz

A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis (Sinspmar) publicou nesta quinta-feira, 06, um vídeo no qual rebate informações do candidato a Deputado Estadual pelo PRB, Christiano Alvernaz, que semana passada afirmou que fora constatada sua inocência em uma investigação por Peculato movida pelos sindicalistas.

Entenda o caso

Christiano Alvernaz

No dia 27 de Agosto, Christiano Alvernaz, ex-candidato a Prefeito de Angra dos Reis e candidato a Deputado Estadual pelo PRB nestas eleições, postou uma nota em seu Facebook na qual afirma que a conclusão da acusação de peculato registrada contra ele em setembro de 2017 pelo Sindicato dos Servidores foi que seria inocente.

Na ocasião ele também acusou a diretoria do Sinspmar de Denunciação Caluniosa e postou cópia da queixa que fez contra os sindicalistas. Alvernaz também concedeu uma entrevista a um jornal local sobre o tema, rebatendo uma matéria publicada pelo mesmo no ano passado.

Os sindicalistas acusaram o político, em setembro de 2017, de ter utilizado bens do Sinspmar para uso pessoal, inclusive um cartão de crédito da entidade teria sido utilizado para abastecer veículos pelo candidato, que foi expulso da diretoria da entidade na época.  Segundo eles, a Kombi do Sinspmar foi utilizada em atividades de Alvernaz fora de Angra, sem autorização da diretoria do Sindicato dos Servidores. Toda a documentação foi entregue às autoridades policiais e está disponível na página do Sinspmar do Facebook.

Lembramos que na época Alvernaz afirmou que o motivo da expulsão na realidade seria uma retaliação por conta de acusações que ele estava fazendo contra a diretoria.

 

Passados 11 meses, após a investigação por parte da polícia, onde fui ouvido juntamente com minhas testemunhas, além das fartas provas que juntei ao inquérito, o Delegado chegou a conclusão de que não cometi nenhum crime. Na verdade, eu fui vítima de um crime. Um crime chamado de denunciação caluniosa. Agora, aqueles que me acusaram e denunciaram são aqueles que são investigados e vão responder à justiça“, afirmou o candidato em seu Facebook.

Investigação continua

Dias depois da postagem de Alvernaz, a diretoria do Sinspmar veio a público afirmar que a situação era bem diferente da relatada pelo candidato, inclusive com a apresentação de um documento escrito de próprio punho pelo delegado responsável pela delegacia de Angra dos Reis, Bruno Gillabrete Freitas, no qual ele esclarece que “o inquérito não está concluído, mas sim foi remetido à justiça, solicitando prazo para prosseguimento“.

Delegado pede mais tempo para as investigações.

Vale destacar que a própria documentação apresentada por Alvernaz em suas redes sociais, a qual, segundo ele, atestaria sua inocência, na realidade apenas afirmava que a Polícia Civil estava pedindo mais prazo para as investigações.

Documentação publicada por Alvernaz não afirma que ele seria inocente.

Um segundo documento apresentado pelo candidato é um registro de Ocorrência, do dia 17 de julho deste ano, feito por Alvernaz contra a diretoria do Sindicato, por suposta denunciação caluniosa.

Alvernaz denuncia sindicalistas

Comentários