Crianças de Araçatiba estão sem aulas

Mães prometem cobrar providências na justiça. Algumas turmas nem começaram o ano letivo.

Praia Grande de Araçatiba - foto: IlhaGrande.ogr
Praia Grande de Araçatiba – foto: IlhaGrande.org

As férias de julho estão chegando para grande parte das crianças de Angra dos Reis, mas enquanto isso, na localidade de Araçatiba, uma das mais importantes comunidades da Ilha Grande, o ano letivo sequer começou para algumas turmas da Escola Municipal General Silvestre Travassos, é o que denuncia um grupo de mães. A prefeitura afirma que está fazendo um processo seletivo para contratar professores e que um profissional será destinado ao local, mas até agora os alunos continuam sem uma solução.

Morar na Ilha Grande já não torna as coisas muito fáceis. Apesar de ser um paraíso, as condições de vida se tornam cada vez mais precárias. (…) Meu filho está sem aula desde o início do ano. E até agora ficamos aqui sem uma resposta, uma explicação. Exijo a melhoria na qualidade de ensino na Ilha Grande. (…) É um absurdo meu filho ter seu direito a educação ser violado. É uma falta de respeito e consideração com nós cidadãos e com as crianças que tanto necessitam da escola. Quero uma solução! – desabafou a mãe de um aluno do segundo ano. Ela e outras mães prometem ir à Defensoria Pública para exigir que o direito à Educação seja garantido aos seus filhos.

Ao Angranews, a Prefeitura de Angra dos Reis informou que o processo seletivo para a contratação de professores está em curso e que até o momento 60 educadores já foram contratados, mas até a publicação desta matéria, não recebemos uma previsão de quando o problema será resolvido. O caso já repercutiu na Câmara dos Vereadores.

O vereador Flavinho Araújo destacou na semana passada que o caso envolve alunos da pré escola ao quinto ano. Os estudantes do pré ao primeiro ano, que dividem a mesma sala, estão sem aulas por causa de um professor que precisou tirar licença médica. Os estudantes do segundo ao quinto ano, que também dividem uma sala, também estão sem aulas, embora durante um determinado período deste ano, a Diretora tenha se desdobrado para ensinar a eles.

Este ano já foi comprometido para estas crianças, já são seis meses sem aulas. Eu queria perguntar ao prefeito Fernando Jordão onde foi investido o dinheiro com o fim do Passageiro Cidadão, com o fim do auxílio do Transporte dos Universitários (…) com o fim dos convênios com as creches? (…) O que a gente quer do município quando deixamos de investir na educação?destacou o parlamentar.

DESInvestimento na Educação

Recentemente publicamos uma matéria mostrando que a Educação pública municipal perdeu cerca de R$28 milhões em investimentos no primeiro ano do governo Fernando Jordão. Em 2016 (último ano de Conceição Rabha) a pasta recebeu R$169 milhões e no ano seguinte este número caiu para R$141 milhões. Segundo informações da Lei de diretrizes Orçamentárias de 2018, a previsão é que a Secretaria de Educação receba R$163,7 milhões este ano. As estatísticas do setor desanimam.

Comentários