Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Creches em Angra entram em greve

Motivo é falta de repasses da Prefeitura. Centenas de crianças ficarão desassistidas com a paralisação dos serviços.

Nesta semana, famílias que dependem do trabalho na creche do bairro da Santa Rita e da creche Dolores, ambas em Angra dos Reis, ficarão sem ter com quem deixar suas crianças, por conta da greve dos funcionários das unidades, deflagradas recentemente.

Segundo comunicado feito pelos funcionários da creche da Santa Rita, que atende cerca de 350 crianças, o motivo do movimento é o atraso da Prefeitura referente aos repasses de janeiro e fevereiro e o fato do município proibir que funcionários se alimentem na escola. Os trabalhadores da creche não possuem cartão alimentação. Eles afirmam ainda que tentaram resolver a situação diretamente com a secretária de Educação, Stella Salomão e com o secretário de Governo, Marcos Veníssius Barbosa, mas não tiveram êxito. Eles garantiram que não conseguiram uma audiência com o prefeito, Fernando Jordão.

Na creche Dolores, que atende 400 crianças no Parque Mambucaba, a situação é similar, já que os repasses não acontecem desde janeiro e os funcionários também estão impedidos de fazer suas refeições na escola.

Questão da alimentação dos professores em escolas pode ser estopim para greve geral

Segundo fontes ligadas ao Sindicato do Servidores, há uma grande insatisfação da categoria dos professores com a questão da proibição da alimentação dos docentes e funcionários nas unidades de ensino. Em escolas localizadas em bairros afastados ou em ilhas a situação dos professores é ainda mais crítica, uma vez que há falta de restaurantes que aceitem o cartão alimentação. Além disso, há a questão dos professores que trabalham em mais de um turno, que muitas vezes não têm tempo de sair das unidades de ensino para se alimentar em casa. Esta situação, somada a falta de perspectiva de uma contraproposta de aumento para os servidores, pode ser um estopim para uma greve da categoria.

Esta semana, o presidente da Câmara, vereador Zé Augusto, levantou a questão da alimentação dos profissionais da educação na tribuna do legislativo.

Normalmente os professores passam o dia inteiro dentro dos colégios. Além disso estão com salários atrasados, defasados e agora com a novidade da proibição dos professores almoçarem nas escolas, a situação só piorou. Será que dá tempo de um professor sair do Belém para almoçar em casa, no Camorim, por exemplo? Aí o aluno fica esperando sem aula? Isso é um absurdo e tenho certeza que será corrigido – Disse o presidente da Câmara nesta terça-feira, 07.

Professores estão impedidos de almoçar nas escolas enquanto alimentos são jogados no lixo.

Desde que a questão da proibição da alimentação de funcionários nas unidades de ensino, surgiram nas redes sociais denúncias de desperdício de comida em unidades de ensino. A foto ao lado foi tirada no último mês, ao lados das escolas Tereza Pinheiro e Santos Dumont, na Japuíba.

Comentários