Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Carnaval em Angra teve aumento de ocupação em relação ao ano anterior

Angra dos Reis teve uma ocupação média de 82% nos seus meios de hospedagem e turismo durante o feriado estendido de Carnaval, do dia 4 a 10 de fevereiro. Os dados da Fundação Municipal de Turismo (TurisAngra) indicaram crescimento em relação ao mesmo período do ano passado, apesar de a expectativa de ocupação divulgada ter sido superior. A oscilação na ocupação, segundo a fundação, seria fruto da competição com outros destinos, como São Paulo, que reforçou sua programação nesta época, e a proximidade do Carnaval com o final de ano. O resultado alcançado, no entanto, foi superior ao de muitas cidades do interior do estado do Rio.

— Realmente ficou um pouco aquém do que a gente esperava, mas não é motivo para nos queixarmos. Houve grande movimentação de visitantes e alguns corredores estiveram com quase 90% de ocupação. O tempo bom ajudou, e a manutenção das atividades tradicionais do Carnaval também atraiu visitantes. Quem passou a festa em Angra não se arrependeu — avalia o presidente da TurisAngra, Klauber Valente.

Além da ocupação alta, outro dado relevante observado pela Fundação de Turismo foi que muitos turistas estenderam sua permanência na cidade para além da Quarta-feira de Cinzas. A quantidade de passeios náuticos saindo do Centro, Camorim e Vila do Abraão também foi alta. O Centro de Informações Turísticas da Praia do Anil (CIT), que faz a coleta de dados para as estatísticas da fundação, contabilizou a saída de pelo menos 190 embarcações, para passeios saindo das estações de Santa Luzia e do Abraão, entre a sexta e a terça de Carnaval, um aumento de mais de 50% em relação ao aferido no Réveillon. No mesmo período, foram contabilizadas ainda 251 saídas de embarcações de traslados entre as estações e para outras localidades da Ilha Grande. Nos postos de informações turísticas foram realizados um total de 1.066 atendimentos, contemplando 2.138 turistas.

O CIT da Praia do Anil também emitiu 497 vouchers para a entrada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) da Praia do Aventureiro e 78 autorizações para estacionamento de ônibus de turismo.

A taxa de ocupação média dos meios de hospedagem ficou em 82%. O corredor turístico que mais se destacou foi o da Ponta Sul, que registrou 92% dos leitos ocupados, seguido dos corredores da Ilha Grande, com 88%; da Ponta Leste, com 82%; da Estrada do Contorno, com 75%; e do Centro, com 73%. A taxa de ocupação média no final de semana seguinte ao Carnaval ficou em 70%, comprovando que o turista estendeu a folga para a folia em Angra dos Reis.

FISCALIZAÇÃO

A Gerência de Operações da TurisAngra coordenou intensas ações de fiscalização de atividades turísticas em todo o município durante o Carnaval. Essas ações contaram com o apoio da Delegacia da Capitania dos Portos, da Polícia Militar, da Superintendência de Trânsito, do Departamento de Postura da Secretaria de Fazenda e do Departamento de Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente. O objetivo desse trabalho em conjunto foi combater o turismo predatório nas praias e nos locais onde são comercializados produtos turísticos.

As equipes foram divididas pelos corredores turísticos e atuaram na Ilha Grande, Ponta Sul, Ponta Leste e Contorno. As rondas identificaram principalmente pontos de churrasco e camping nas praias da Sororoca, Garatucaia, Éguas, Biscaia, Gruta, Tanguazinho, Laboratório, Secreta e Vila Histórica. Os grupos foram informados quantos às leis que proíbem o churrasco e camping em praias e desmontaram as churrasqueiras sem resistência. Ao todo, foram desmontadas mais de cem churrasqueiras durante o Carnaval e cerca de 50 barracas de camping.

— Mesmo com uma estrutura menor no Carnaval, Angra ainda tem o maior número de blocos e agremiações carnavalescas do interior do Estado. Isso atrai turistas, certamente. A economia do turismo na cidade esteve aquecida durante todo o período. Nesse Carnaval, a TurisAngra dedicou-se também à fiscalização das atividades turísticas irregulares. Continuamos trabalhando para promover a cidade e garantir que o turismo esteja cada vez mais aquecido ao longo de todo ano — afirmou Klauber Valente.

Cultuar faz balanço positivo do Carnaval 2016

Nos 7 dias de folia, famílias tomaram as ruas e crianças pularam um dos Carnavais mais tranquilos que a cidade já realizou

2016-02-03- CARNAVAL - bloco dos Artistas - foto Felipe de Souza (6) -jNa segunda-feira, 15, a Fundação Cultural de Angra (Cultuar) fez um balanço do Carnaval na cidade, que devido à crise precisou ser reduzido. Segundo as estimativas iniciais, cerca de 25 mil foliões curtiram a festa nos blocos da cidade e a taxa de ocupação na rede hoteleira foi de 82% durante os sete dias de Carnaval em Angra. Durante toda a programação, as famílias tomaram as ruas e as crianças pularam Carnaval nos blocos, que tiveram o apoio da prefeitura. Em Angra dos Reis, o Carnaval começou no dia 3 e seguiu animado até o dia 9. O recorde de público foi nos blocos Nega Maluca, Conexão Bahia e Piranhas do Camorim, na quinta, segunda e terça-feira, respectivamente. Cada um deles arrebatou cerca de 10 mil foliões, que fizeram a festa pelas ruas da cidade.

Desde o início do ano, uma das principais pautas na cidade era a realização ou não do Carnaval em Angra. Para garantir a essência da festa momesca, a prefeitura assegurou, através de repasse à Associação dos Blocos Carnavalescos de Angra dos Reis (Abcar), o cachê dos blocos, com 20% de redução, e a estrutura básica para o Carnaval: apoio operacional, banheiros químicos, trios elétricos e a programação da matinê infantil. Excepcionalmente neste ano, a prefeitura optou por não realizar o Carnaval nos bairros. Com a decisão, a festa, que tinha um custo, em média, de R$ 1,5 milhão, custou R$ 461.690,00, praticamente um terço do que foi gasto no ano passado.

— A crise não é local, é nacional. A necessidade de economizar nos obrigou a cortar custos e fazer um Carnaval que coubesse na realidade de Angra. Não atendemos aos 24 bairros que temos por hábito atender, mas garantimos a essência do Carnaval de rua, com o desfile dos blocos carnavalescos – declarou o vice-prefeito Leandro Silva, que durante o período de Carnaval assumiu a coordenação da festa, na função de prefeito interino, enquanto a prefeita Conceição Rabha estava de férias.

Mesmo com programação reduzida, não faltou alegria, irreverência e criatividade na hora de comemorar o Carnaval, e isso ficou explícito nos 43 blocos que desfilaram pelas ruas da cidade. O presidente da Cultuar, Délcio José Bernardo, que esteve à frente da saída de todos os blocos, comemorou o saldo da festa:

– Apesar da crise que vários municípios estão enfrentando e da necessidade de cortar gastos, a gestão, com organização e planejamento, realizou um Carnaval animado. Sem dúvida, foi uma das festas com maior participação de famílias. Avalio que garantimos a diversão da maior festa democrática do Brasil em nossa cidade através dos blocos – disse o presidente.

Apesar da aglomeração de público, por conta da centralização da programação, alguns pontos ganharam destaque durante os dias de folia. No quesito segurança, a Prefeitura de Angra colaborou por meio do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), que operou junto ao 33º Batalhão nos pontos de maior concentração de foliões e onde havia necessidade de reforço policial.

– Como nos anos anteriores, tivemos um Carnaval de muita paz e tranquilidade, graças ao planejamento e intenso esforço dos órgãos de segurança, em especial do 33° Batalhão de Polícia Militar. Várias famílias puderam desfrutar os dias de folia, com a segurança necessária – declarou o gestor do GGIM, Alexandre Klippel.

Na área de saúde, todos as unidades de saúde 24h tiveram médicos para atendimento da população. O secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira, comemorou e informou que todas as unidades funcionaram plenamente nos dias de folia.

– Mais uma vez conseguimos manter os plantões funcionando, garantindo assim o pleno atendimento à população que necessitou de assistência médica. Na virada do ano não foi diferente e, no que depender da gestão da Secretaria de Saúde, a população pode ter a certeza de que estamos trabalhando diariamente para oferecer um SUS de qualidade – disse o secretário, relembrando que de sexta-feira, 5, até terça-feira, 9, foram realizados 639 atendimentos no SPA Centro, 396 no SPA Jacuecanga, 363 no SPA Frade, 637 no SPA Frade, 343 no SPA Abraão e 1.645 na UPA.

A movimentação na rodoviária também foi intensa. Segundo a Sociacam, que administra o Terminal Rodoviário Vereador Nilton Barboza; os dias de maior movimentação foram na sexta-feira, com chegada de ônibus, e na terça-feira, com a saída. No dia 5, 929 pessoas desembarcaram na cidade, e no sábado, dia 6, 1.410. No retorno, ao final do Carnaval, na segunda-feira, foram feitos 562 embarques saindo de Angra, e na terça-feira, 1.535.

Comentários