Câmara participa de audiência pública de Barcas

0 0

Vereadores de Angra vão trazer discussão para o município.

Representantes da Câmara e Prefeitura de Angra dos Reis participaram da primeira Audiência Pública para discutir o modelo da nova licitação da concessão do transporte aquaviário do Estado (Baia da Ilha Grande e Baia de Guanabara).

O encontro aconteceu na segunda-feira, 20, na Associação Comercial do Rio de Janeiro. A segunda audiência aconteceu no dia seguinte, em Niterói, e não estava prevista uma específica para Angra dos Reis, mas os vereadores cobraram e o secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira, garantiu que
trará a discussão para cá.

Estiveram presentes na reunião os vereadores Titi Brasil, Luciana Valverde, Kamu, além de representantes da Prefeitura de Angra, como o vice-prefeito Manoel Cruz Parente e o secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Alexandre Giovanetti. Acompanhando a vereadora Titi Brasil, esteve presente na reunião a assessoria do deputado Jorge Felipe Neto. Todos eles centralizaram a discussão em Angra dos Reis. Com isso, conseguiram um aceno positivo do Estado para que os moradores da Ilha Grande sejam ouvidos.

– Os moradores terão voz nessa discussão, que até então estava somente no âmbito Rio e Niterói. A população será ouvida e vai participar, junto com o Legislativo angrense das discussões para melhor qualidade do serviço de Barcas – disse Titi Brasil.

A boa notícia é a de que Angra vai receber uma barca do modelo INACE 500, climatizada, com poltronas confortáveis, e que faz o trajeto Abraão x Centro em meia hora. A presidente da Comissão Permanente do Turismo da Casa, vereadora Luciana Valverde, questionou sobre novos horários.

– Além de levarmos a audiência para Angra dos Reis, vamos discutir novos os horários para que a nova empresa possa estabelecer no município – frisou a parlamentar.

O prazo para o termino da concessão vigente é de seis anos, entretanto, a empresa que explora o serviço no Estado decidiu reincidir o contrato alegando que não está tendo prejuízo. Tanto que na abertura o secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, explicou que a decisão da CCR Barcas de propor a rescisão antecipada do contrato criou para o Estado a oportunidade de realizar a revisão do atual modelo de concessão.

– Esse é o momento ideal para que façamos as mudanças necessárias. Nosso objetivo é propor um contrato mais eficiente para a sociedade e atrativo para o potencial concessionário. Entre as solicitações está a implantação de sistemas de indicadores que garantam a qualidade da prestação do serviço, além da possibilidade de implantação de novas linhas no decorrer da concessão – ressaltou o secretário.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: