Ativistas destroem experimento científico para libertar pássaros na Ilha Grande

A destruição de um experimento na Ilha Grande, em Angra dos Reis, mobilizou parte da comunidade científica brasileira – principalmente porque a responsável pelo ato é, ela própria, bióloga e professora universitária, além de ativista.

A bióloga e mais duas amigas cortaram uma rede e libertaram pássaros capturados por pesquisadores da Universidade do Estado do Rio, a UERJ. Em resposta, mais de 600 pesquisadores de todo o país assinaram uma carta aberta defendendo o estudo e o laboratório responsável, e a universidade instalou uma sindicância sobre o episódio.

Como os pássaros estavam emaranhados, foi preciso usar uma tesoura para cortar a rede em alguns pontos – para desespero das pessoas que tinham montado o dispositivo: pesquisadores do Laboratório de Ecologia de Aves e Ecologia Comportamental da UERJ.

O objetivo dos pesquisadores na Ilha Grande não é matar os pássaros: as aves capturadas pela “rede de neblina” geralmente são medidas, pesadas e identificadas com anilhas (um tipo de anel preso à perna). Estudos desse tipo são feitos na ilha desde 1995, e servem para acompanhar a variação na população de pássaros (e entender o que causa essas variações), entre outros objetivos.

Leia a matéria completa no site da BBC Brasil.

Comentários