Angra decreta estado de emergência por falta de combustível

Prefeito alega que o Plano de Emergência das usinas está comprometido. Eletronuclear desmente informação.

Central Nuclear

O prefeito Fernando Jordão decretou neste sábado, 26, situação de emergência pública em razão da crise de desabastecimento de combustível. Segundo ele, a situação também coloca em risco a prática do Plano de Emergência das usinas nucleares, que são sediadas na cidade. Em entrevista a Rádio Costa, o presidente da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães, garantiu que o Plano de Emergência não está comprometido e que a estatal tem combustível para garantir a eficácia do plano.

Segundo informações da prefeitura, no momento, em Angra dos Reis, todos os postos de abastecimento estão sem gasolina, etanol, diesel e qualquer outro tipo de combustível.

Prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão

– Não tive outra medida a fazer senão decretar o estado de emergência em Angra dos Reis, porque nós não temos mais combustível nos postos, a empresa Bonfim teve que reduzir sua frota para atender a população e ontem mesmo eu cancelei as aulas na rede pública de ensino para que a Bonfim tivesse mais combustível para transportar as pessoas que precisam ir ao médico, à farmácia e se locomoverem na cidade. Além disso, nós temos duas usinas nucleares em Angra e não vamos ter plano de emergência nenhum funcionando sem combustível na cidade, – declarou Fernando, completando que se Angra não tiver prioridade no abastecimento de combustível para que se possa exercer o Plano de Emergência das usinas nucleares, será pedido o desligamento de Angra I e Angra II.

O presidente da Eletronuclear garantiu que greve dos caminhoneiros não afeta o plano. Segundo ele, em entrevista à rádio Costazul, a estatal possui combustível para mais duas semanas o que garante a eficácia do plano de emergência interno e externo. A estatal também emitiu uma nota oficial sobre o assunto.

Leonam dos Santos Guimarães, presidente da Eletronuclear

Considerar o Plano de Emergência como razão para decretar Estado de Emergência no município não me parece algo fundamentado, não neste momento. Nós temos garantias para as próximas duas semanas, mas nós temos certeza que as condições do país serão restabelecidas. (…) Certamente se houvesse qualquer tipo de ameaça a primeira entidade a tomar providências e agir seria a própria Eletronuclear, entrando em contato com a Prefeitura, Defesa Civil, Governo do Estado, Gabinete de Segurança Institucional, Comissão Nacional de Energia Nuclear… No momento que houver a mínima ameaça à integridade do plano, todos os órgãos serão informados, o que não é o caso no momento nem nas próximas duas semanas – garantiu Leonam.

Esta não é a primeira vez que Fernando Jordão ameaça pedir o desligamento das Usinas de Angra 1 e 2. Em  fevereiro deste ano o prefeito garantiu que poderia tomar esta medida caso a Intervenção Federal não atuasse no município.

Serviços Públicos comprometidos

De acordo com informações da prefeitura, por conta do desabastecimento, serviços como o transporte coletivo de passageiros, a coleta de resíduos sólidos, a segurança urbana e a da defesa civil, e o transporte marítimo insular, ficaram bastante comprometidos, este último, muito utilizado para levar serviços básicos até os moradores das ilhas e das comunidades da Ilha Grande.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade informou que a que a empresa de limpeza urbana de Angra dos Reis, conseguiu comprar uma cota extra de diesel, garantindo a coleta de lixo doméstico até a próxima segunda-feira, 28. O serviço já seria suspenso a partir deste sábado por causa do desabastecimento de combustível no País. No entanto, a coleta de entulhos está suspensa temporariamente até que a situação volta à normalidade.

Comitê de gerenciamento de Crise

O Decreto, de nº 10.928, de 26 de maio de 2018, também cria, no Gabinete Do Prefeito, o Comitê de Gerenciamento de Crise, composto pelo próprio prefeito, que coordenará o colegiado; o secretário de Governo de Relações Institucionais, o secretário de Administração, o superintendente de Segurança Pública, o procurador geral do município, o chefe de Gabinete do Procurador Geral, o secretário Executivo de Proteção e Defesa Civil e o secretário Municipal de Saúde. A este grupo cabe propor e adotar todas as medidas preventivas ou reparadoras, administrativas e judiciais, visando a manutenção dos serviços públicos essenciais à população de Angra dos Reis.

O Comitê também deverá realizar o monitoramento de toda a situação de abastecimento e operação dos serviços essenciais, bem como propor, se for o caso, a decretação de estado de calamidade pública ou a revogação do estado de emergência.

Em caso de iminente perigo público, poderão ser requisitados bens e serviços da iniciativa privada. As secretarias municipais, as subprefeituras e os demais órgãos e entidades integrantes da administração direta e indireta, deverão implantar um plano de racionalização de uso de insumos, com o objetivo de preservar a continuidade das atividades essenciais.

Eletronuclear garante que o Plano de Emergência não foi afetado

Confira abaixo a nota que a Eletronuclear emitiu por conta da movimentação da Prefeitura de Angra.

“A Eletronuclear informa que está acompanhando a situação do país em virtude da greve dos caminhoneiros e esclarece que – mesmo após o município de Angra dos Reis ter decretado estado de emergência em decorrência deste fato – não há qualquer comprometimento em relação à segurança da central nuclear. As usinas Angra 1 e Angra 2 estão operando normalmente, sem quaisquer anormalidades.

Embora a necessidade de evacuação no caso de uma emergência nas usinas seja bastante remota, a empresa ressalta que sua frota de ônibus e carros está abastecida e com plenas condições de atender ao Plano de Emergência Local e dar apoio ao Plano de Emergência Externo, no caso de qualquer eventualidade.

A Eletronuclear reitera seu compromisso com a segurança em primeiro lugar, mas destaca o seu papel como agente público nesse momento: contribuir, com mais de 2.000 MW, para o abastecimento de energia elétrica de todo o país.”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.