Ampla explica aumento nas contas

Após inúmeras reclamações de clientes sobre os valores cobrados nas contas de luz pela concessionária de energia Ampla, a empresa emitiu um comunicado, afirmando que não registou qualquer irregularidade no processo de medição e que o aumento registrado pelos consumidores seria relativo ao aumento de tarifas, concedido ano passado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e impostos. Desde o início do ano, clientes atendidos pela operadora se queixam da alta no valor da conta.

Em uma postagem feita no Facebook do Angranews, centenas de pessoas reclamaram do aumento das contas de janeiro e das falhas no fornecimento. Na última semana conversamos com o prefeito em exercício de Angra dos Reis, Leandro Silva, que detalhou o que tem sido feito para garantir investimentos e melhorias no abastecimento de energia no município, que sofre com constantes quedas de energia e problemas correlatos.

No passado recente, os problemas relacionados à empresa já foram alvo de um abaixo assinado, promovido pela Câmara Municipal, de discussões dos deputados federais da Comissão de Minas e Energia, Audiência Pública em Brasília, reuniões nas quais foram cobradas providências da Ampla e de uma ação judicial promovida pela Prefeitura de Angra, mas ainda assim os problemas relacionados à concessionária não cessaram.

Confira a íntegra da nota:

A Ampla informa que o reajuste anual da distribuidora definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ocorre no mês de março. Em 2015, o valor aplicado foi, em média, de 30,25% para clientes residenciais. Além da tarifa de energia, o valor da conta também é impactado por impostos como ICMS, PIS e COFINS. O ICMS, por exemplo, varia de acordo com a faixa de consumo de energia no mês. Quando o cliente consome além de 300 kWh, o ICMS que incide sobre a conta passa de 18% para 29%.

A distribuidora esclarece ainda que não tem registrado qualquer irregularidade no processo de medição e faturamento da companhia. Com as altas temperaturas do Verão, há um aumento natural no consumo de energia, devido ao uso mais frequente de aparelhos de ar condicionado e ventilador, por exemplo.

A Ampla orienta os consumidores a verificarem seu consumo de energia em kWh, comparando o valor consumido atualmente com o do mesmo mês do ano passado. Vale ressaltar que, mesmo em caso de consumo equivalente, as contas deste Verão estão impactadas pelo reajuste tarifário de março de 2015 mencionado acima. Além disso, o valor da bandeira tarifária vermelha definida pela Aneel – que era de R$ 3,00 por 100 kWh consumido (ou proporcional por fração) em janeiro em 2015 – está atualmente em R$ 4,50 por 100 kWh.

Medidas simples podem auxiliar o cliente a adequar o valor da conta de luz ao orçamento familiar. A troca de lâmpadas incandescentes de 100W por modelos LED de 14W, por exemplo, representa uma economia de, aproximadamente, 16 kWh/mês para cada ponto de luz. Ajustar a temperatura correta do ar nos dias de calor mais forte (para uma temperatura agradável de 23º) também pode garantir redução no consumo, com até 5% de economia por aparelho. Tirar da tomada equipamentos que utilizam o modo stand-by é outra medida que ajuda o consumidor a utilizar energia de forma consciente.

A Ampla ressalta ainda que todos os comunicados da empresa são feitos por meio das páginas oficiais da companhia: Facebook, Twitter e site. Por essas páginas, os clientes também podem entrar em contato com a distribuidora, além da Central de Atendimento (0800 28 00 120) ou ainda pelo aplicativo Ampla, que pode ser baixado gratuitamente.

Composição da conta

Somente 20,2% da conta de luz se destina ao serviço de distribuição de energia operado pela Ampla. Ou seja, numa conta de luz no valor de R$ 100, apenas R$ 20,2 são destinados à distribuidora, para operação, expansão e manutenção da rede de energia elétrica. Cerca de R$ 28,30 são destinados ao pagamento de impostos e R$ 16,8 são encargos setoriais. Além disso, R$ 30,9 são direcionados ao custo de geração de energia e R$ 3,8 à transmissão.

Comentários