Últimas noticias e informações sobre Angra dos Reis (Continente e Ilha Grande), Mangaratiba e Paraty.

Alerj derruba veto e 130 famílias da Ilha Grande poderão ter suas casas

A luta dos moradores ainda não acabou, Governador ainda precisa colocar em prática o projeto. Deputados cobram empenho de lideranças para que isso aconteça.

A luta dos moradores ainda não acabou, Governador ainda precisa colocar em prática o projeto. Deputados cobram empenho de lideranças para que isso aconteça.

O sonho de cerca de 130 famílias da Ilha Grande, em Angra dos Reis, parece um pouco mais perto de se realizar. Nesta terça-feira, 12, os deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro derrubaram, com 55 votos, o veto do Governador Pezão ao Projeto de Lei 1733/2012, do Deputado Gilberto Palmares, que autoriza o Estado a vender, pelas regras do programa “Minha Casa, Minha Vida”, os imóveis ocupados por ex-funcionários do Desipe (Departamento do Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro) na Ilha Grande e seus herdeiros legais. Agora há uma expectativa de quando, ou se, Pezão colocará a medida em prática.

O autor apresentou este projeto no ano de 2002, solidário à luta dos funcionários públicos do Estado, que foram trabalhar e morar na Ilha Grande, parte como servidor do sistema prisional, há mais de quatro décadas.

– Seria um enorme absurdo se eles fossem despejados, como o governo Pezão ameaçava. O projeto prevê a compra dos imóveis por estas famílias, o que absolutamente justo – explicou o Deputado.

Estiveram presentes na votação, representando Angra dos Reis, além de cerca de 150 moradores, o prefeito Fernando Jordão, o presidente da Câmara Municipal, Zé Augusto, e ainda os vereadores Titi Brasil, Sargento Thimóteo, Gedai, Flavinho, Jean e Canindé.

– Hoje foi um dia muito importante para parte dos moradores da Ilha Grande. Com a derrubada deste veto, o Governador está autorizado a dar a escritura destas casas para eles, que poderão financiar os imóveis nos quais moram há mais de 40 anos. Falta agora a boa vontade do Pezão para que estas pessoas tenham suas escrituras, vamos fazer o nosso papel e cobrar! – explicou Zé Augusto.

Comentários